Associação Brasileira de Câncer Gástrico - Brazilian Gastric Cancer Association - Brasil

Notícias

Câncer Gástrico na Coréia do Sul Visão de Cirurgião Brasileiro UICC - ICRETT Fellowship em Cancer Gástrico

02/09/2010 Reinaldo Isaacs Beron e Laercio Gomes Lourenço

 Câncer Gástrico na Coréia do Sul

Visão de Cirurgião Brasileiro 

 UICC - ICRETT Fellowship em Cancer Gástrico

 

Reinaldo Isaacs Beron e Laercio Gomes Lourenço

 

 

As estimativas publicadas pelo Instituto Nacional de Câncer Brasileiro para 2010 referentes a câncer de estômago indicam 21500 novos casos, dos quais, dois terços (13820) serão em homens.

 

Na Coréia do Sul, com uma população de aproximadamente um quarto da população brasileira, os dados são ainda mais alarmantes.  De acordo com o Centro Nacional de Cancer desse país a incidência câncer de estômago em homens varia de 66,5 a 72,5 casos por 100.000 habitantes e de 19,5 a 30,4 em mulheres, colocando o câncer gástrico como a neoplasia mais prevalente e a segunda causa de morte relacionada a câncer.   Ao contrário dos países ocidentais, dentre eles o Brasil, onde a maioria das lesões são de localização proximal, na Coréia, assim como na China e no Japão (os três juntos concentram mais da metade dos casos mundiais de câncer gástrico), a prevalência ainda é de lesões no estômago distal.

 

As publicações asiáticas são referência mundial no estudo e tratamento do câncer gástrico. Ultimamente a Coréia  do Sul vem se destacando no tratamento cirúrgico do câncer gástrico principalmente na cirurgia minimamente invasiva e robótica.

 

A União Internacional de Combate ao Câncer (UICC), com sede em Genebra na Suíça, oferece bolsa de estudos para médicos, enfermeiros e pesquisadores interessados na pesquisa e tratamento do câncer a visitar os centros especializados.  São oferecidas mais de 200 bolsas por ano para o intercâmbio e transferência de tecnologia e conhecimento essenciais para o combate ao câncer.

 

 

Nesse contexto aplicamos para uma Bolsa de Estudos da UICC para visitar o serviço de Cirurgia de Câncer Gástrico da Universidade Nacional de Seul (SNUH). O serviço coordenado pelo Prof. Dr. Han Kwang Yang tem o reconhecimento mundial,  e o volume de cirurgias somente comparado com alguns centros do Japão. O professor Yang será o presidente do Comitê Científico do IX Congresso Internacional de Cancer Gástrico que será realizado em Seúl em 2011. Prof. Yang é ainda um pesquisador do câncer de estômago, membro e atual presidente do Cancer Research Institute da SUNH.

 

Por trinta dias  tive a oportunidade de acompanhar o Serviço da SNUH, como parte do programa de Fellowship de Transferência de Tecnologia em Pesquisa de Câncer (ICRETT) da UICC.  Esse estágio incluia acompanhar a rotina da equipe liderada pelo professor Yang,  a qual já realizou mais de 20 mil cirurgias de câncer gástrico. 

 

 

Durante o estágio foram realizadas 36 cirurgias de câncer gástrico sendo 30 pelo Prof. Yang. Deste subgrupo 18 eram do sexo masculino e 12 do feminino.  Dezesseis casos eram câncer gástrico avançado (AGC) e 14 precoce (EGC), Essa distribuição está de acordo com estudos recentes que demonstram o aumento de incidência de EGC na Coréia do Sul para aproximadamente 50% dos casos.  O serviço de endoscopia da SNUH é responsável pelo diagnóstico de câncer precoce. 

 

O emprego sistemático da eco-endoscopia e clipagem tumoral pré-operatoria para 1cm proximal e distal `a lesão tem permitido aos cirurgiões coreanos oferecerem um tratamento minimamente invasivo a pacientes com lesões menores de 2cm, sem cicatriz de úlcera ou lesão ulcerada e com tumores bem diferenciados.

 

Das cirurgias realizadas a gastrectomia subtotal com reconstrução a BI aparece como a mais comum (8 casos), seguida da gastrectomia total em 5 casos e da gastrectomia distal laparoscopicamente assistida em 5 casos. Quatro casos foram de gastrectomia subtotal a BII. Em um caso foi realizada a  gastrectomia laparoscopicamente assistida com preservação do piloro, como parte da investigação de novas técnicas com preservação da função do órgão. Uma  gastrectomia total laparoscopicamente assistida tinha como proposta inicial a gastrectomia parcial porém, devido o comprometimento da margem proximal, optou-se pela conversão a gastrectomia total (TG). Foram realizadas duas ressecções paliativas por carcinomatose peritoneal sendo uma gastrectomia paliativa e uma derivação gastro-entérica.

 

A dissecção linfonodal foi sempre a D2 e mais de 50 linfonodos ressecados nas cirurgias curativas, dependendo da localização do epicentro do tumor, de acordo com os guidelines da International and Japanese Gastric Cancer Association.  Essa dissecção das estações linfonodais foi realizada pela equipe cirúrgica após a retirada da peça. A dissecção linfonodal peritumoral é reservada ao patologista para melhor avaliar a invasão tumoral da serosa  e dos tecidos adjacentes.

 

A citologia e estudo de linfonodo sentinela não são procedimentos de rotina mas sim em protocolos de estudo no SNUH Cancer Research Institute. Outros estudos estão em andamento como o KLASS trial; estudo multicêntrico, randomizado que compara a cirurgia laparoscópica com a aberta tanto para câncer precoce (EGC) quanto para câncer avançado (AGC). O estudo REGGATTA compara o efeito da gastrectomia paliativa na sobrevida global versus o tratamento clínico sem cirurgia.

 

Durante o estágio ocorreram 3 eventos internacionais: 17º Simpósio Internacional de Câncer Gástrico e o de Novas Técnicas e Terapias no Genoma do Câncer, ambos realizados no SNUH, e o Simpósio Internacional de Câncer Gástrico "East versus West" realizado no St. Mary´s Hospital de Seul da Universidade Católica da Coréia, com a presença do professor Dr Takeshi Sano do Cancer Institute Hospital do Japão e a Dra Vivian Strong do Memorial Sloan Kettering Cancer Center de Nova Iorque, uma das precursoras de abordagens minimamente invasivas para câncer de estômago nos EUA. A promoção e a troca de informações fazem parte da pesquisa e de experiências entre outros centros que tratam da neoplasia gástrica.

 

A experiência obtida no SNUH foi de grande valia para mim e acredito ser de grande importância para quem se interessa no estudo, compreensão e tratamento da neoplasia gástrica.  Portanto, recomendo a cirurgiões, oncologistas, endoscopistas ou outros profissionais da saúde interessados em Câncer Gástrico a visitar este renomado centro de excelência. 

 

Gostaria de agradecer ao Prof. Dr Laercio Gomes Lourenço e ao Prof. Dr Han Kwang Yang pelo apoio para a realização deste intercâmbio de tecnologia.

 

Este estagio teve apoio do ICRETT da UICC (Grant # 010-036).

 

 

Dr. Reinaldo Isaacs Beron

Especializando Gastroenterologia Cirúrgica 

Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina


 

Copyright © BGCA/ABCG Brazilian Gastric Cancer Association/Associação Brasileira de Câncer Gástrico

Av. Brigadeiro Luis Antonio, 278 - 7º andar, Sala 7| São Paulo/SP

WhatsApp 11-97544-5729